“faltu baat karte hain”

 

“Só diz besteiras…” 

Tudo começou assim:

“Esta velha de 125 anos …   poderá ela fazer alguma coisa pela juventude?” 

            Isto era Narendra Modi referindo-se anteontem ao rival Congresso.

Numa acção paralela, e em sentido contrário, Sonia Gandhi atirava-se, também ontem, ao líder do BJP, justamente com a frase do título deste post, acusando-o de nunca ter cumprido qualquer promessa::

  • que nos seis anos em que foi ministro do interior e vice-PM, nada fez pelos agricultores   
  • ou quando o Parlamento foi atacado em Dez 2001    
  • ou o templo de Raghunath, atacado por duas vezes em 2002 
  • ou o templo de Akshardham Ver imagem em tamanho realem Gandhinagar, também em 2002

 

 

  • e que o seu governo além disso deixou fugir terroristas envolvidos num desvio de avião. (ver post scriptum)

Numa terceira via de loucura, o líder do partido Samajwadi (literalmente ‘partido socialista’, apoia-se mutuamente ao Congresso em Utar Pradesh, mas tem aqui Mayawati e o BSP como grande rival), parece querer fazer jus ao símbolo partidário e pôr a Índia toda a andar de bicicleta. Ao proclamar ontem o seu manifesto eleitoral, defendeu a abolição do inglês como língua franca, no ensino e nas novas tecnologias.

Mulayam Singh Yadav   já foi chief minister do Uttar Pradesh, e ministro da defesa no confuso período de ’96-98. O que não impede que tenha uma visão de futuro: “The use of computers in offices is creating unemployment problems. Our party feels that if work can be done by a person using hands there is no need to deploy machines.”  Estas incluem também, acrescentou, maquinaria agrícola…

E irão também, se eleitos, promover melhores relações com Paquistão e Bangladesh, bem assim como fazer regressar à força os 18 mil polícias acusados de corrupção e demitidos por Mayawati, que sucedeu a Singh no UP ( http://www.newstrackindia.com/newsdetails/1036 )

Mas há esse grande objectivo: “We will only press for removing the compulsory use of English language in education, administration and judiciary. We favour the use of national and regional languages.” Bem me parecia que esta minha aposta pessoal no hindi era acertada…  Mas não percebo então porque publicam coisas destas  

 

ou que precisem desta para fazer campanha no Bihar (no Bihar!!!!)

 Ela que, claro, só faz trabalho braçal e não precisou de uma palavra de inglês para subir a difícil rampa do sucesso.

Pois temo-la aqui a falar em tamil com o Steve Martin, numa cena do Pink Panther 2 saído há poucos meses.

O Samajwadi devia era começar por retirar do site deles http://www.samajwadipartyindia.com/ a alternativa de leitura em inglês…

E o blog deste, vejam. Vai ser expulso… http://shahid-siddiqui.blogspot.com/

Assim  os bons tempos irão acabar    

coisas destas serão queimadas gopal_novel.jpg Indian English Novel image by pustakalaya

e estas tendências – que nem sequer são muito dramáticas para o ponto de vista deles… – serão travadas:

“With English giving India a huge advantage in the global economy it is only natural that more Indians are opting to educate their children in English medium schools. What may come as a surprise is the pace at which this is happening. Nationwide enrollment in the upper primary section (class I to VIII) of English medium schools rose 74% between 2003 and 2006. In actual figures, that is a rise from 54.7 lakh [1 lakh = 100,000] in 2003 to 95.1 lakh students in 2006. Data collected by the National University for Education Planning and Administration shows that over the same period, enrollment in Hindi medium schools — the dominant language — grew by 24% from 6.3 crore to 7.8 crore. Interestingly, the growth of English is more in non-Hindi speaking states, mostly the southern states which account for over 60% of the students enrolled in English medium in the three-year period. The spurt in English schooling also means it is now the third biggest medium of instruction for upper primary students after Hindi and Marathi.”

Em jeito de final, e voltando ao princípio, a resposta a Narendra Modi não tardou. E veio de Priyanka Vadra, filha de Sónia e a fazer campanha pelo irmão Rahul: “Do I look old to you?” 

A resposta está na posse do Dalai, a olhar para ela: Ver imagem em tamanho real

 

 

 

PS uns dias após a publicação do post – Esta história da troca de prisoneiros talibãs está a pegar fogo na campanha, passada já a 1ª fase de votação. Tudo à volta do caso do desvio do voo da Indian Airlines IC 814 Kathmandu-Delhi por 4 paquistaneses, em 24 Dez 1999. Após várias escalas hesitantes em Amritsar, Lahore e Dubai, acabou por aterrar em Kandahar, no Afeganistão talibã. Após negociações entre as autoridades indianas e os terroristas, os reféns foram soltos a 31 Dez, enquanto os terroristas desapareciam num veículo talibã.  Um deles terá mais tarde estado envolvido, e sido morto, no ataque ao parlamento indiano em 2002. A net está cheia de coisas sobre isto.

 

2 respostas a “faltu baat karte hain”

  1. Sérgio Mascarenhas diz:

    Alguns questões em aberto sobre o quadro com a estatística: qual o número de crianças que estão a aprender em outras línguas? Falta. Qual o número de crianças que NÂO estão a aprender em língua nenhuma? Falta. Qual a relação entre meio social e língua de estudo? Falta.
    A primeira questão é um pouco secundária mas as duas últimas já não são. Em particular no que respeita à terceira e se Goa servir de padrão, a grande maioria das crianças em escolas de inglês são da classe média, média-alta.

    Mas o que é mesmo mais importante é o que não está de todo no quadro: a distribuição para o ensino «complementar» (9º a 12º anos) e para o superior. Quanto a este em particular, suspeito que o inglês deve estar largamente acima dos 50%.

    E é isso que interessa. Lá como cá é perfeitamente indiferente a língua em que se formam iliteratos e analfabetos funcionais. A questão de fundo é em que língua se formam as elites. Na Índia a resposta está dada há muito.

    (Devo dizer que esta questão sempre me apaixonou por comparação com a situação europeia e portuguesa. Mas essa é outra conversa.)

  2. ken5z9mana diz:

    O enredo avoluma-se:
    “After taunting the Congress with his “budhiya” (aged woman) comments, BJP leader and Gujarat Chief Minister Narendra Modi Sunday termed the 125-year-old national party a “gudiya” (doll), eliciting sharp reaction from the opposite camp.
    Addressing a poll rally in Uttar Pradesh’s Shrawasti district, Modi said: “Ab mein Congress ko budhiya nahin, gudiya kahoonga. Aisa karne se kya woh jawan ho jayegi (Now I will refer to the Congress not as an aged woman, but a doll. Will it make the party younger?)…
    “I had only told the age of the Congress. If my friends in the Congress do not like my suggestion then from now onwards I will stop saying budhiya Congress and will instead call the party gudiya Congress,”…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: