“Contrastes” é eufemismo para isto

Afzal Guru, o caxemire condenado à morte referido ali em baixo, é um caso a seguir com muita atenção. Se o Presidente indicado pelo BJP, A P J Kalam, não chegou a dar ordem de execução, é certo que a Presidente indicada pelo INC, P Patil, também não a dará. E o senhor, inocente ou não, continuará a apodrecer em Tihar Jail.

Geelani e Haksar

Geelani e Haksar

E agora uma pista: Geelani, professor na Universidade de Deli, caxemire, foi inicialmente detido e depois condenado como cúmplice de Afzal nos ataques de Dezembro de 2001 ao Parlamento indiano. Esteve preso vários anos, sofreu torturas macabras, a sua mulher, filhas e família sofreram represálias etc.

Com a ajuda de Nandita Haksar, corajosa advogada pelos direitos humanos e políticos (minha conhecida, agora com casa em Goa também, quem não a tem?), recorreu até ao Supremo e foi ilibado. Uma batalha que contou com o apoio de Arundhati Roy, entre vários outros intelectuais e activistas.

Sabem o que aconteceu dias depois de Geelani ser finalmente libertado, anos depois? Ao entrar para casa da sua advogada Haksar, perto da minha universidade de então, alguém alveja-o com vários tiros no ábdomen, quase morria. Não sou amigo de teorias da conspiração, mas se googlarem (não vou enviesar opiniões com ligações, porque há perspectivas muito diferentes) e lerem um pouco sobre este caso, ficarão a conhecer uma Índia bem menos “shining” – uma Índia dominada pelos “encounter specialists”, as “special cells” policiais, por uma justiça debilitada, minada por interesses corruptos e ideologicamente suspeitos.

Sobre Haksar, ainda: é a mulher mais corajosa que conheci na Índia. Filha de um dos conselheiros mais influentes de Indira Gandhi, P N Haksar, em vez de se deitar na “caminha feita”, escolheu a via mais difícil, assumindo o papel de principal denunciadora de um regime nem sempre democrático, e defensora de causas humanas que ninguém quer abraçar (violações de direitos humanos em Caxemira, Nordeste, confrontos anti-muçulmanos em Goa etc.). Nunca me esquecerei das longas noites, até de manhã, que passávamos a discutir com ela na JNU.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: