Ainda

De Anand Giridharadas, o jovem e muito bom correspondente do IHT na Índia, ainda sobre o Slumdog, aqui:

The boom era now fading left two longings among India’s globalized rich. The first is a desire for recognition by the West, through magazine covers and Booker Prizes and Grammys. The second is a desire to show the world the most sanitized representation of India, not the stereotypical India mired in poverty and degradation, but an India as pristine as the elite’s own posh homes.

Sometimes international recognition and sanitization come in the same work, as in films like “Bride and Prejudice” and “Outsourced.” But on other occasions, what might be called the Slumdog Bargain has imposed itself: world acclaim came at the cost of celebrating a vision of India that the elite didn’t really want to see.

3 respostas a Ainda

  1. outraindia diz:

    Bom artigo. A verdade é que há indianos que olham a Índia de frente e estão atentos às suas diversas realidades. Conheço vários.

    Uma passagem muito interessante sobre o livro White Tiger (que eu não li): «He writes of the degraded serving classes as “crushed humans in crushed uniforms, sluggish, unshaven, in their 30s or 40s or 50s but still ‘boys.”»

    Há um psicóloga brasileira em Goa de quem sou amigo. Ela dizia-me que os homens indianos são infantis, nunca chegam a crescer. Que isso faz parte da educação e da forma como se relacionam com as mães, que são meninos da mamã. Ela dizia que isso se via nas caras, no facto de tantos homens na meia-idade terem caras de meninos.

    É bem verdade e os exempos são imensos. Há uns anos, não muitos, o mais velho dos irmãos «Reliance» Ambani foi votado pelos jovens como o seu exemplo de jovem. Quando ele já estava a meio dos 40. Mas a verdade é que mantinha uma cara de 20-e-poucos. Os mesmos 20-e-poucos que votaram nele e que têm caras de 14 anos.
    O Exemplo foi convidado para um programa de tv. Perguntaram-lhe quem era a pessoa da sua vida. Disse que era a… mamã. A meio dos 40.

    Há uns tempos vi um programa sobre os indianos de Sillicon Valley. Todos na faixa dos 20. Todos com o comportamento, expressão, sorriso, de crianças pré-adolescentes.

    É uma das fascinantes características da Índia, a forma como lida com a sexualidade, com a maturidade com as relações em família, com a masculinidade no feminino e a feminilidade no masculino.

    Claro, nem todos os indianos são assim. Quando da entrega do prémio ao Exemplo da Juventude estive num almoço com vips de Bombaim de férias em Goa. Um casal que conhece bem o exemplo fartou-se de gozar, dele e da juventude que o elegeu. Por acaso a parte masculina do casal nada tinha de menino na expressão ou na postura…

  2. outraindia diz:

    Esqueci-me de me identificar no comentário anterior.
    Sérgio

  3. outraindia diz:

    E dei um salto a este filme referido num outro blog, não sei se já viram ou se já foi aqui referenciado:
    http://udayms.wordpress.com/2009/03/17/not-every-indian-liked-slumdog/

    Fantástico!
    Sérgio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: